USP investirá mais de um milhão em projetos na área de inteligência artificial

Reprodução: Jornal USP

A Pró-Reitoria de Pesquisa anunciou, no dia 29 de março, a relação dos contemplados no edital de apoio a projetos que fazem uso de sistemas digitais inteligentes. Foram selecionados 43 projetos, nos quais serão investidos, ao todo, recursos da ordem de R$ 1,5 milhão.

Foram contempladas pesquisas que fazem uso de sistemas digitais inteligentes (com recursos de inteligência artificial ou aprendizado de máquina) em áreas como políticas de saúde, medicina de precisão, cidades inteligentes, sistemas econômico-financeiros, ética e sociedade, mobilidade, modelagem molecular, planejamento de fármacos, energias renováveis, avaliação de dados gerais (incluindo dados científicos), entre outras.

Entende-se por sistema digital inteligente qualquer sistema que utilize dados e algoritmos de aprendizado de máquina para tomar decisões.

“O mundo inteiro está concentrando esforços na área de Inteligência Artificial. Em consequência dessa percepção, a USP definiu essa área como uma prioridade e está traçando ações articuladas para que as pesquisas sobre Inteligência Artificial sejam intensificadas. Para nossa surpresa, o número de projetos inscritos no edital foi muito superior ao esperado, o que demonstra o grande potencial da Universidade”, explicou o pró-reitor de Pesquisa, Sylvio Roberto Accioly Canuto.

A Pró-Reitoria recebeu 109 inscrições para esse edital. Os projetos foram avaliados por 47 pareceristas ad hoc, todos pesquisadores na área de sistemas inteligentes de outras instituições de ensino e pesquisa. Após essa etapa, uma comissão avaliadora, composta de cinco especialistas, reuniu-se para indicar os projetos mais bem avaliados.

Para o reitor Vahan Agopyan, “uma das grandes vantagens da USP é a sua diversidade, e a Pró-Reitoria de Pesquisa está concentrando esforços para ampliar a interação e a sinergia entre os diversos grupos de pesquisa, mantendo sua individualidade”. O dirigente também anunciou que, por causa da qualidade dos projetos apresentados, o valor dos investimentos foi ampliado de R$ 1 milhão para R$ 1,5 milhão. Veja a matéria completa em: https://jornal.usp.br/institucional/usp-investira-r-15-milhao-em-43-projetos-na-area-de-inteligencia-artificial/

Governo japonês vai usar robôs com IA em salas de aula para melhorar inglês

O Governo de Japão planeja introduzir nas salas de aula robôs com Inteligência Artificial capazes de falar inglês durante as aulas desta matéria, para ajudar as crianças a melhorar sua destreza oral, uma das piores do mundo.

O Ministério da Educação japonês lançará um teste piloto para provar a eficácia da iniciativa em abril de 2019 em 500 colégios de todo o país, com o objetivo de implementá-lo completamente em dois anos, segundo informou neste domingo a emissora pública “NHK”.

O ministério também porá à disposição dos alunos aplicativos para o estudo e sessões de conversa on line com nativos de fala inglesa, como uma solução para a falta de fundos que dificulta a contratação de professores nativos suficientes.

O inglês é uma das questões pendentes do país asiático, que se tem proposto melhorar na matéria em relação ao aumento do número de turistas que espera durante para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

Os dados mais recentes do índice de domínio do inglês English Proficiency Index EF (EF EPI), de 2017, dá ao Japão a 37ª posição da sua lista, composta por um total de 80 países.

O último ranking de qualificações do exame oficial de inglês TOEFL publicado no mesmo ano revela que o Japão é um dos países asiáticos que piores qualificações obtêm, só acima do Laos, e onde se destaca a baixa pontuação na prova oral, uma das piores do mundo junto com Burkina Faso e República do Congo.

Fonte: Agência EFE